A DISPUTA DE QUEM SE IMPORTA MENOS!

Os dados foram jogados e então começa a disputa de quem vai ganhar primeiro o coração do outro, foi assim que os relacionamentos modernos vieram para aumentar a nossa futilidade e encher nossas cabeças de noias, ao invés de viver o verdadeiro sentido do sentimento amor, estamos nos afastando dele.

Desculpe-me os jogadores de plantão, mas quando existe a famosa “disputa” para quem vai chamar primeiro ou quem vai demorar mais para responder,  quem vai dar o “like”, o invencível que não sente saudades, e vive a mercê de um joguinho massageador de ego. Não existe interesse em amor, não existe vontade e nem merecimento de desfrutar de um sentimento tão bonito e nobre que é essa troca. Existe sim, um ser egocêntrico do outro lado querendo dominar o parceiro como mercadoria para ver que sai por cima.

Quando me encontro vivendo um negocio tão frio assim, como é inevitável nos dias de hoje, já cruzo as esquinas, ninguém tem o merecimento de ficar a submissão de alguém com sentimentos infantis e carências egomania fazendo renascer sua autoestima com base na duvida que coloque outro.

Ser inteligente é viver com razão, sem as piegas da modernidade. Alias cada uma tem o amor que acha que merece ter. E temos que estar com a convicção se algo é recíproco, investe-se, se não, é melhor ir embora.

Temos que saber a hora certa de parar de dar corda para aquilo que não tem futuro, e muito mais que isso, aquilo que com certeza será motivo de sofrimento maior se continuar nos iludindo achando que as coisas irão mudar.

Dificilmente um relacionamento com “ego inflamados”, tem a chance de se transformar em algo bonito, o egoísta demora a perceber isso, talvez só perceba quando se apaixonar de verdade.

Porque continuo acreditando que só quem passar por cima do jogo do amor, e assumi uma postura perante o medo das derrotas é que esta pronto para o viver. Sofrer será sempre inevitável, corremos riscos o tempo inteiro, mas nessa modernidade meio vazia e louca ainda, sempre haverá alguém que mudará todas as nossas crenças.

O que quero dizer é que o amor faz muito mais parte de uma escolha, ou eu luto por algo que realmente vale a pena, ou recuo baseado em lógicas arcaicas medida em meus próprios egos e conflitos e traumas de relacionamentos passados.

Apesar de tudo isso, ainda acredito que embora freemos esses sentimentos, quando ele precisa fazer historia na vida do outro, ele vem com força e intensidade e não tem nenhum orgulho e nem disputas que impeça.

Arriscamos pelo simples prazer e vontade de conquistar o outro, de finalmente ter encontrado alguém que vale a pena para compartilhar, e mais ainda, alguém que não importa se vai ganhar o perder, que não é um jogo, e sim um presente da vida.